Gramado – Um apanhado geral

Desta vez vamos começar o relato da viagem um pouquinho diferente, dando uma explanação geral de como foram esses 5 dias na cidade mais bonita do Sul do Brasil (desculpa Chapecó… Rsrsrsrsrs).

IMG-20181116-WA0015

E vamos logo para a única parte ruim da viagem: a hospedagem!

Como estávamos em 4 adultos e 2 crianças, optamos pela locação de apartamento (pela 1ª vez), pois ficaria bem mais em conta, ainda mais por estarmos indo em um feriadão e em época de Natal Luz.

E realmente ficou… O apartamento era todo novinho, bem ajeitado e perto do centrinho de Gramado. Ou seja, perfeito!

E tinha tudo pra ser, não fosse a “babaquice” (desculpem o termo) do supervisor da empresa We Love Gramado (Index Temporada) que, ao fazer a vistoria final no apartamento, encontrou um lençol com uma marca, aparentemente de ferro. Apesar de garantirmos milhões de vezes que não fomos nós que fizemos a mancha, que não usamos ferro na cama em nenhum momento, o tal “supervisor”, no auge da sua prepotência, não quis saber de conversa e nos fez pagar R$70,00 pelo lençol… Pior, quando falei que levaria o lençol pra casa, o “supervisor” Elias ainda disse que podia fazer um desconto. No mínimo queria ficar com o lençol para enganar mais alguns trouxas. Mas fizemos questão de carregar o lençol conosco… Deem uma olhada na tal mancha (que não fizemos) e nos custou R$70,00 e uma correria para não perder o ônibus na rodoviária…

Quis relatar esse caso para que as pessoas que resolvam locar um imóvel em suas viagens não caiam na mesma inexperiência que a nossa… Façam sempre a vistoria na hora do check in, e relatem todas as situações diferentes encontradas no apartamento.

No nosso caso, achamos até “estranho” pois a vistoria inicial só nos mostrou os utensílios da cozinha e a quantidade de toalhas, travesseiros… Já a vistoria final começou direto nos lençóis…

duvida

Bom, mas vamos deixar isso pra lá e partir para a parte boa da viagem.

Gramado é uma cidade maravilhosa, toda arrumadinha pro Natal então, fica perfeita!!!As pessoas são super educadas, os motoristas param antes da faixa de pedestre sempre para atravessarmos.

Aliás, quem vai de carro deve se ligar nisso. Outro ponto para quem aluga carro são as rotatórias (pra quem nunca viu uma, não é fácil se acostumar naquela confusão toda) e o mega trânsito que fica na cidade…

Em compensação, quem vai de outro tipo de transporte e depende de Uber ou táxi na cidade, pode passar algum perrengue, principalmente pela falta de sinal de celular em alguns locais.

Nós fomos de ônibus da Citral (https://www.citral.tur.br/) do aeroporto de POA até Gramado e depois de Gramado até o aeroporto (tempo de viagem de aproximadamente 2h). Pagamos R$46,60 por trecho, sendo que crianças até 5 anos não pagam.

Nos próximos Posts vou passar os valores que gastamos por trajeto para cada atração.

Aqui abaixo segue o cartão de 2 motoristas de Uber que nós pegamos e que foram muito atenciosos… Isso pode ajudar em alguns momentos.

Sobre a temperatura… Fomos em Novembro/18 e demos muita sorte, pois só pegamos 1 dia de chuva. O que acontece é que a temperatura ali é muuuuiiitcho looka. Tu sai de casa às 8h e tá fazendo uns 15 graus, aí a tarde a temperatura pula para uns 28 graus e a noite cai para uns 10… Excelente para quem quer se resfriar! Rsrsrsrsrs

Esperamos ter dado o apanhado geral pretendido e nos desculpem pelo desabafo sobre a hospedagem, mas achamos importante dar este alerta, especialmente para pessoas que vão utilizar esse meio de hospedagem pela primeira vez…

Um grande abraço.

Família Nanda Aventureira!

Cabo Frio – Peró / Arraial do Cabo (RJ)

Quando sua família te convida para um final de semana em uma casa de praia, com todo mundo junto (aproximadamente umas 20 pessoas), você pensa logo: iiiiihhhh, vai ser uma confusão total!!!

desesperoMesmo assim, decidimos embarcar nessa “confusão” e nos mandamos para Cabo Frio-RJ, praia do Peró. Resolvemos ir logo na 6ª feira a noite e pegamos a ponte por volta de 20h. Enfim, logo de cara tivemos o primeiro ensinamento: nunca viajarás, em uma 6ª feira de verão (fomos em Fevereiro de 2017), para região dos Lagos!

Pegamos muito trânsito, principalmente na Ponte Rio-Niterói… sem contar que não sabíamos o caminho e chegar a noite é sempre mais complicado. O ponto positivo foi que a Nanda dormiu quase que a viagem toda!!! 🙂

Chegamos quase 23h em Peró e a “família buscapé” já estava toda animada, com um churrasquinho para nos receber! Ok, ok! Sem maiores detalhes sobre isso… vamos ao que interessa! churrasco1
No sábado, decidimos fazer um passeio de barco em Arraial do Cabo! Ficamos com muito receio de como seria o comportamento da Nanda, se ela iria enjoar, se ficaria entediada, já que ela nunca havia feito passeio de barco… mesmo assim, decidimos arriscar.

Fomos até a Praia dos Anjos, no centro de Arraial, que é o local de onde partem os barcos. Nas ruas próximas à praia, existem várias empresas que fazem os passeios e lá mesmo fechamos com a escuna Galápagos. O valor ficou em 40,00 por pessoa, sendo que a Nanda não pagou. Não que não tenha gostado da escuna, pelo contrário, eles foram muito gentis e solícitos, mas indico que as pessoas busquem informações antes, pois existem empresas que fazem pacotes com bebidas, por exemplo. Mas o principal é verificar a questão da segurança, questionar sobre os coletes salva-vidas, entre outras coisas. Outro ponto importante é verificar o horário de saída da escuna, para poder ir até a praia do Farol sem maiores problemas.

O passeio foi realizado em, aproximadamente 4h, e incluiu os seguintes locais: Praia do Pontal, Fenda de Nossa Senhora, Gruta Azul, Praia do Forno e Praia do Farol, sendo que este último, por pouco não deixamos de visitar, pois tem limitações de embarcações no local.

Gente! Que espetáculo da natureza!!! Sensacional! Lugares lindos demais, apesar da água beeeem gelada! Nandoca curtiu muito, pois o mar estava bem calminho, deu para ela mergulhar bastante!!! Quanto a nossa preocupação com o barco… acho que ela nem sentiu o balanço, nada de enjoos… 🙂 🙂 🙂

 

No dia seguinte, fomos à Ilha do Japonês. E a grande dica é: vá cedo!!! 

As filas de carros para estacionar, entrar na ilha, estavam enooooormes!!! Tanto que decidimos parar um pouco mais longe e ir a pé. Não foi uma decisão tão fácil, pois tinham idosos e crianças conosco, mas foi o jeito de chegarmos!

Após esta longa caminhada, chegamos à praia que possui várias cadeirinhas/quiosques bem na beirinha. Muito legal, mas fica bem “muvucado”. O mais interessante mesmo é atravessar da praia até a ilha. A maré fica baixa e dá para atravessar andando (apesar de pisarmos em uns caranguejos/siris) de vez em quando. Quem não tiver disposição de andar/nadar, tem uns barquinhos que fazem a travessia (não lembro o valor, mas acho que era R$3,00).

A ilha é surpreendente!!! Água muito clara, rasinha… foi o parque de diversão da Nanda! Não queria saber de outra vida!!!

 

Sinceramente, sei de muitas pessoas aqui no RJ que não conhecem a Região dos Lagos direito. Eu mesma acho que conheço pouco e a cada visita que faço me surpreendo com a beleza presente nessa região.

Falo muito com meus amigos de Chapecó-SC e estendo à todos que costumam vir ao Rio de Janeiro e ficar só pela Capital… separem uns dias para conhecer a Região dos Lagos (Cabo Frio, Arraial do Cabo, Búzios, entre outros).

Vale muiiiiiiito a pena… são cidades que ficam há 2h, 3h da capital e possuem belezas incontestáveis.  E Arraial do Cabo, para mim, sempre vai estar na lista de praias mais bonitas do Brasil.

distancia

Entre os caminhos apresentados, o mais curto vai pela Via Lagos e, infelizmente, possui um pedágio absurdo.

  • Das 12 h de 6ª feira às 12 h de 2ª feira. Feriados nacionais, das 12 h da véspera às 12h do dia seguinte:
    • R$ 20,00
  • Das 12 h de segunda-feira às 12 h de sexta-feira. (Exceto feriados nacionais):
    • R$ 12,00

Sobre Hospedagem, ficamos em casa de família, mas existem muitas opções, tanto em Arraial do Cabo quanto em Cabo Frio, de pousadas super confortáveis, boas para crianças e com um custo-benefício muito bom. Já em Búzios existem opções de resorts, inclusive já falamos do Búzios Beach Resort  por aqui.

Esperamos que tenham curtido e, mais uma vezes, não deixem de conhecer esses lugares maravilhosos!!!

Grande abraço!
Família Nanda Aventureira!

 

Hotel Fazenda Serra Castelhana – Saquarema/RJ

No ano passado (2017) entramos em uma discussão aqui em casa sobre o tipo de viagem que estávamos fazendo. Eu queria fazer viagens exploratórias, conhecer novos locais… e o Alex, apesar de gostar desse tipo de viagem, estava curtindo muito o relax de nossas idas à Resorts, Hotéis Fazenda, entre outros.

Acabei só conseguindo fazer esse tipo de viagem no Carnaval de 2018, quando fomos para SP e consegui convencer, inclusive a mim, que a Nanda está apta para este tipo de viagem (claro que respeitando os limites dela).

Perfeito! Agora é só viagem maneira, lugares novos, culturas novas… Opa! #SQN!
tapanacabeca.jpg

Recebemos um maravilhoso convite para passarmos um final de semana no Hotel Fazenda Serra Castelhana, com a turminha da creche da Nandoca. OK, OK… nem cogitei a possibilidade de não aceitar! Óbvio que vamos!!! Sempre “nos lamentamos” por a Nanda não viajar com outras crianças para esses lugares e essa oportunidade seria perfeita!

Normalmente não viajamos a noite, mas devido a ansiedade da Nanda em estar com os amiguinhos, resolvemos ir, na Sexta mesmo, por volta de 19h. Apesar de não ser feriadão, sempre rola um trânsito na Ponte Rio-Niterói e na Manilha. O caminho até Saquarema-RJ, pela Via Lagos, é muito simples. Mas, ao chegarmos na 1ª plaquinha de entrada para o Hotel já me questionei do por que não decidimos ir no Sábado bem cedo. A estrada é muito escura, de terra, acesso não muito bom e, se o GPS não estiver funcionando bem, vai perder sinal fácil. Apesar de tudo, não passamos nenhum perrengue e chegamos ao Hotel após 2h de viagem, com a Nandoca dormindo a viagem toooooda!

wall e die cast model
Photo by Nubia Navarro (nubikini) on Pexels.com

A entrada do Hotel é meio esquisita a noite, pois você só vê um portão e não enxerga luz alguma, do tipo: será que é aqui mesmo?! Encontramos um interfone, nos identificamos e eles “abriram a porteira”. Mesmo após entrarmos, ainda rola um bom caminho até a chegada efetiva do Hotel e tudo muito escuro, da pra se perder lá dentro mesmo! Rsrsrsrsrs…

Chegando lá, fomos direto para o jantar, afinal, já passava das 21h. Encontramos o pessoal que havia ido mais cedo e a Nanda super mega ultra empolgada ao encontrar a amiguinha. Na janta, rolou um bingo animadinho, com direito a massagem relaxante como prêmio… e nós, é claro, não ganhamos nada! 🙂 🙂 🙂

A minha primeira, e única, impressão ruim do Hotel veio no momento de entrarmos no quarto. Tudo bem que é “no meio do mato”, mas tinham alguns insetos dentro do quarto e saímos à caça deles. Depois descobrimos que uma das janelas tinha ficado aberta, o que provavelmente ocasionou esta “invasão”, pois nos demais dias não tivemos este problema.

O quarto é simples, mas bem ajeitadinho e, apesar de ter ficado um pouco com pé atrás, pelos insetos, dormi maravilhosamente bem!!!

Acordamos cedinho no Sábado, para podermos aproveitar todas as atividades. O café da manhã é sensacional!!! Muitas opções de comida, bem ao estilo Fazenda mesmo, super gostoso… difícil parar de comer! Aliás, complementando o assunto “comida”, todas as refeições são M A R A V I L H O S A S!!! As crianças conseguiram comer super bem e nós, os adultos, comemos (com toda certeza) mais do que devíamos!!! Hahahahahahahaaha!!!

Sobre as atividades, não são tão estruturadas como já vi em outros hotéis, mas nem por isso deixaram de ser animadas. Logo cedo, as crianças curtiram um passeio pela fazenda com direito a ordenha da vaca, subida no touro, alimentar os patos e o bode, o pônei, entre outros.

Também teve caça ao tesouro, passeio de trenzinho, tirolesinha e o espetacular Ski Bum… nunca vi a Nanda se divertir tanto como nesse escorrega de sabão! Aliás, a alegria de todas as crianças (e dos adultos também) era contagiante!!!

As piscinas do Hotel são muito boas. São 3 opções: uma bem rasinha e outras 2 mais fundas, sendo que a da cachoeira possui uma parte rasa, que as crianças conseguem ficar em pé (mas precisa de muita atenção para não irem para a parte funda). Conseguimos ficar uma boa parte do sábado curtindo na piscina… até Hidro Dança fizemos! Rsrsrsrs!

Porém, no Domingo o tempo fechou geral e não parou de chover 1 minuto. Neste ponto, achei que o Hotel peca pela falta de atividades para dias assim (acredito que podiam preparar alguma atividade interna) e pela falta de uma piscina térmica coberta. Mas, a grande vantagem é que eles possuem uma área de brinquedos coberta, com brinquedão e tudo… e foi lá que passamos a manhã de domingo toda, para a alegria da criançada!

O Hotel também possui a “brinquedoteca dos adultos” (Rsrsrsrsrs) com 2 mesas de Sinuca, 1 de Tênis de Mesa e uma de Pembolim (Totó).

Ah! Na noite de sábado rolou um jantar com música ao vivo e uma “boate”, mas nada que tenha nos chamado atenção. Preferimos ficar “enfurnados” em um dos quartos, com todas as crianças se divertindo, brincando, gritando… loucura total!!! Rsrsrsrsrsrs!

Point Blur_May202018_180455

Bom, a experiência de viajar com outras crianças foi maravilhosa!!! Foram 3 coleguinhas da Nanda, sendo que 1 deles foi com a irmã, ou seja, 5 crianças que curtiram um final de semana intenso e animado. E é como sempre digo, não importa o local, se você esta com ótimas companhias, tudo é divertido e torna o passeio super agradável!

Sobre o Hotel, custo benefício excelente!!! Local bem tranquilo, funcionários super atenciosos, comida maravilhosa e boas opções de divertimento para a criançada.

E agora, terei de “me render” novamente a este tipo de viagens… já estamos programando a próxima aventura com essa criançada toda!!!

E aí, alguma sugestão de Hotel?!

Um mega abraço,

Família Nanda Aventureira!

 

Hotel Fazenda Serra Castelhana

Estrada Real s/nº – Palmital – Saquarema – RJ

Site: http://www.serracastelhana.com.br/site/

Data da viagem: abril/2018

Valor: pagamos R$ 1.120,00 pelo final de semana, com todas as refeições incluídas.

Dica: como fomos em um grupo grande e uma das mães já havia ido várias vezes ao Hotel, conseguimos negociar a isenção da cobrança de R$ 280,00 por criança.

CARNAVAL EM SP – DIA 4

Terça de Carnaval (13/02/18)

O grande dia… Parque da Mônica

E deixamos o melhor para o último dia! Viemos para SP por isso, era o nosso principal objetivo: levar a Nanda ao Parque da Mônica.

Confesso que na montagem do roteiro, não queria deixar essa atração por último, pois imprevistos sempre ocorrem (como a febre da Nanda no Domingo) e nesse caso não teríamos possibilidade de troca, mas… deu tudo certo!

Partimos logo cedo ao Parque da Mônica com a ideia de chegarmos antes da bilheteria abrir, pois tinha lido que se formavam longas filas. Mas nos demos mal… Chegamos às 10:00 e o shopping, por ser feriado, só abria às 10:30. Bom, depois dessa espera desnecessária, encontramos a bilheteria quase sem fila e compramos os ingressos com tranquilidade.
A entrada ao parque foi liberada um pouco antes das 11h. Fomos logo aos 3 brinquedos mais concorridos: Roda Gigante, Horacic Park e montanha-russa. E, de verdade, a melhor coisa que tem é chegar cedo ao parque… tudo sem fila, tranquilo de entrar, muito bom!

 

Sobre os brinquedos:

  • Roda Gigante – sem gracinha, Nanda não curtiu muito, ficou um pouco sem paciência.
  • Horacic Park – é um carrinho no formato de um tronco de árvore que cabem até 4 pessoas e vai percorrendo pela água até chegar em uma queda maior… e esse foi nosso problema. Deixamos a Nanda na frente, e ela até que estava curtindo. Mas, quando a queda chegou, ela estava na frente, de cara, e quando viu o tamanho da queda (que nem é tão grande assim) se assustou muito. Além disso, a queda faz com que a gente se molhe e quem está na frente se molha mais.
  • Montanha-Russa do Astronauta: como a Nanda tinha se assustado no Horácio, ficamos com receio da Montanha-Russa, mas resolvemos arriscar. Dessa vez a colocamos no 2º carrinho (como se isso fizesse diferença! :/). Assim que o carrinho começa a andar, a Nanda, mais uma vez, curte o passeio… mas ele logo começa a acelerar e partir para curvas em alta velocidade. E, mais uma vez, a Nandoca entrou em desespero e começou a chorar (acho que ela nunca mais vai a uma montanha-russa, causamos um trauma na criança). Não tem nenhuma queda na montanha-russa e achei ela razoável (confesso que tenho medo de montanha-russa).

Depois dessa adrenalina toda, deixamos ela aproveitar os brinquedos os demais brinquedos, os quais, destacamos:

  • Ce-Bolinhas: local muito interessante, com várias “estações” onde é possível atirar bolinhas ou jogar um monte delas para o alto. Nanda se divertiu em ficar na parte de cima tentando me acertar. Foi o brinquedo que a Nandoca ficou mais tempo.
  • Engenheiros do Parque: simula uma área de construção, com tijolos, carrinhos e outros elementos. Nanda curtiu demais, principalmente a parte de levar os tijolos no carrinho, e joga-los em uma espécie de esteira.
  • Brinquedão da Turma: binquedão normal, que sempre faz sucesso com os pequenos.
  • Brinquedão do Chico Bento: nesse os pais vão junto, rola uma espécie de labirinto e a parte mais “constrangedora” é quando temos que passar por um túnel.. rsrsrsrs!
  • Carrossel da Mata: outra área que a Nanda curtiu bastante e foi umas 3 ou 4 vezes.
  • Pescaria do Chico Bento: eu achei meio sem gracinha, mas a Nanda curtiu. São peixinhos que ficam rodando, subindo e descendo. Ela se divertiu como se estivesse fazendo algo radical, muito engraçado.
  • Posto do Bidu: uma espécie de carrinho de rolimã, onde as crianças param no posto para abastecer. O brinquedo fica meio escondido, ao lado da parede de escalada e sempre o vi bem vazio, mas a Nanda curtiu e ficou bastante tempo no brinquedo.
  • Trombada do Louco: carrinho bate-bate. Momento mais tenso do parque para nós. Primeiro pela pirraça que a Nanda fez por querer ir no carrinho rosa, sendo que outra pessoa pegou ele antes. Segundo pelo próprio brinquedo, a cada batida a Nanda se assustava, cheguei a me machucar tentando segurá-la para que não sacudisse nas batidas.

Além dos brinquedos, o parque apresenta outras atrações, como um espetáculo encenado pelos personagens, no palco principal. Acredito que varie, mas no dia que fomos foi uma peça falando sobre aceitar as diferenças… muito legal mesmo, super interessante e educativo.

Também curtimos muito o baile de carnaval em que os personagens percorrem o parque numa espécie de “trio elétrico” contagiando à todos com marchinhas, confetes e serpentinas.

 

Mas o êxtase da Nanda foi quando ela conseguiu tirar foto com os personagens, principalmente Mônica e Magali. Ela ficou bem emocionada, conversou com eles… muito muito muito legal! Essas fotos possuem horários específicos (que podem ser visualizadas num folheto distribuído na entrada do parque).

Detalhes Técnicos

Valor Ingresso: compramos um combo 3 pessoas por R$ 277,00 (um pouco salgado o preço) e parcelados em 5 vezes. 🙂
Almoço: tem um McDonald´s dentro do Parque e apesar de não estar tão cheio, não achamos mesas disponíveis. Sendo assim preferimos ir
até a praça de alimentação, que fica ao lado do parque. Basta sair pela Loja que eles carimbam a nossa mão e você pode voltar depois.
Fotos: além das fotos profissionais com os personagens, retiradas em um quiosque próprio, alguns brinquedos também tiram fotos (vimos do Horacic Park e da Montanha Russa) que você pode comprar no quiosque ao lado destes brinquedos. Pagamos R$ 20,00 por uma foto, mas pela cara da Nanda, mereceu! 🙂 🙂

Horários: ficamos de 11h às 19h (mas horário varia conforme calendário, ver no site)
Uber Hotel x Parque da Mônica: R$ 43,06
Uber Parque da Mônica x Hotel: R$ 43,68
Bom, fechamos o passeio com chave de ouro e no dia seguinte já partimos cedo para o RJ.
9-512

Apenas para conhecimento, existem 2 outros passeios super interessantes em SP que não colocamos no roteiro.

1 – Kidzania: achamos que a Nanda não curtiria tanto, ainda sem entender algumas coisas por ter apenas 4 anos. Como é um passeio caro, preferimos deixar para uma próxima oportunidade.

2 – Zoológico+Safari: inicialmente estava no nosso planejamento, no mesmo dia do Aquário. Mas, devido ao problema da Febre amarela, o zoológico ficou fechado no período que fomos.

Espero que vocês tenham curtido e que aproveitem bem as dicas.

Um grande abraço,
Família Nanda Aventureira!

Carnaval em SP – Dia 3

Segunda de Carnaval (12/02/18)

1ª parada: Aquário de SP

A única programação que não podia ter alteração de dia no nosso Roteiro era o Aquário de SP. Isso porque na 2ª feira o valor do Ingresso é de R$ 50,00 para todos, enquanto nos demais dias o valor é de R$ 50,00 para crianças e R$ 85,00 para adultos.
Comprei o ingresso pela internet, no dia anterior, escolhendo o período das 11h. Chegamos no horário selecionado na compra e, para nossa surpresa, uma imeeeensa fila para entrar no Aquário. Não sei para que serve essa escolha de horário no momento da compra, não existe controle algum de quantidade de pessoas.
Apesar de tudo, a fila andou muito rápido e entramos em 20 minutos. Porém, aquela galera toda entrou junto conosco né… ou seja, estava praticamente impossível ver as primeiras atrações. Passamos direto pelos primeiros túneis, até porque estava muiiiito abafado e só paramos na área em que o tubarão aparecia. Essa é uma área um pouco maior, cheia de peixes, mas de um modo geral não nos agradou.

Continuamos o nosso percurso e começamos a ter um pouco mais de paz na visita, apesar do aquário estar cheio, a galera deu uma dispersada. Logo paramos na 1ª  atração paga: Jurassic Aquarium. Um experiência interessante, principalmente para quem gosta de Dinossauros, mas não vale os R$ 15,00 por pessoa.
Depois disso começamos a entrar em áreas temáticas que, para mim, foi o grande diferencial do Aquário. De todos os setores, o da Austrália nos chamou mais atenção, muito por conta dos cangurus e do Coala.

Mas o grande ápice, para todos, foi a visita aos Ursos Polares!!! Um deles estava dormindo e o outro resolveu dar um showzinho pro pessoal, chegando bem perto dos vidros. Muiiiiiiiito fofo, como disse a Nanda: vontade de levar pra casa! 🙂
Visualizar as focas se alimentando também foi muito legal!!!

Porém, a grande expectativa era pela aparição das sereias e isso só ocorre no final do passeio, já na saída mesmo. Estávamos muito empolgados, queríamos ver a reação da Nanda e… nos decepcionamos! 😦 Ela não deu muita bola pras sereias, queria só saber do brinquedo que compramos na lojinha, um pouco antes. Esperávamos um pouco mais também do mergulho (estilo novela das 9). Mas não, o recipiente onde elas ficam é muito pequeno e elas apenas descem, dão tchau e beijos e sobem…
IMG_20180212_131342977
Enfim, não é que tenhamos achado o Aquário ruim, acho que fomos com muita expectativa mesmo, pois todo lugar onde li dizia que era muito bom e melhor que o do RJ. Não fomos no do RJ ainda, sendo assim, não temos comparação… mas se não fossem os outros animais (que não são de aquários) estaríamos bem desapontados.
O passeio total, desde o início da fila até a nossa saída levou 2h20…
Uber Hotel x Aquário: R$ 22,35
Valor Ingresso: R$ 50,00 (por pessoa, preço promocional).
Horários: Todos os Dias: 9h às 19h (entrada até as 17h).
  a

2ª parada: Impulso Park

Nossa programação inicial era fazer o Zoológico de SP, mas devido ao fato dele ter sido fechado pela questão da Febre Amarela, programamos um passeio bem diferente: um parque de trampolins. A Nanda adora “pula-pulas” e sabíamos que ela curtiria demais esse passeio.
Fomos do Aquário direto, sem almoço, chegando lá às 14h.
De cara já dou 3 dicas:
  • A 1ª é… leve meias antiderrapantes, senão tem que pagar R$ 15,00 pela meia do parque.
  • A 2ª  é que se você tiver como se programar em relação ao horário, compre pela internet, pois fica 5.00 mais barato, por ingresso. Se não tiver, tente chegar perto de horário fechado (14h, 15h…), pois as seções são fechadas por hora. Nós chegamos 14h em pronto e perdemos uns 10 minutos de parque, pois tivemos de fazer cadastro, paga, e guardar as coisas no guarda volumes.
  • A 3ª e última dica é essa: tenha preparo físico e aproveite todas as opções que o local oferece, pois vale muito a pena, diversão garantida para toda a família.

Depois disso é só curtir, muitas opções de trampolins lá dentro, até parede de escalada… E após quase 1h pulando pra lá e pra cá, quem conseguia andar direito!? Teeeeeenso!!!

Enfim, depois de sairmos “mortos” e com uma baita fome, pois não havíamos almoçado ainda, partimos para o shopping São Paulo que fica na Avenida Paulista, próximos ao Hotel. A ideia era comermos rápido e irmos ao hotel descansar um pouco depois disso tudo! 🙂 🙂 🙂
Uber Aquário x Impulso Park: R$ 31,12
Uber Impulso Park x Hotel: R$ 18,24
Valor Ingresso: R$ 102,00 (Adulto-Kids + Adulto)
Horários: verificar no site, pois depende da sessão escolhida.

 

3ª parada: Jantar na Pizzaria Margherita

Como programado, fomos dar uma descansada no Hotel, para irmos jantar mais tarde… só que a Nanda descansou demais e não quis acordar de jeito algum. Mesmo assim, partimos com ela dormindo para a Margherita.
Escolhemos a pizzaria através do TripAdvisor e não nos arrependemos!!! Chegamos já por volta de 22h no local e tinha uma baita fila, mas eles possuem uma área de espera com mesas, onde é possível comermos entradas e bebericarmos um pouco. O pessoal foi muito atencioso conosco e ficaram o tempo todo preocupados pelo fato de eu estar com a Nanda dormindo no meu colo. O tempo de espera não passou de meia hora e logo arrumamos a mesa. Sendo assim, pedido feito, Nanda deitada no meu colo e walaaaaa, que M A R A V I L H A de pizza.

Pedimos uma pizza grande que dá direito a 3 sabores… A maioria das pessoas pede pra levar o que sobra, pois a pizza é bem generosa. Mas os 2 monstros (eu e meu marido) não precisamos pedir…. Comemos tudo. Rsrsrssrsrsrsrs.
Uber Hotel x Pizzaria: R$ 7,93
Uber Pizzaria x Hotel: R$ 15,80
Valor Total: R$ 149,51 (Pizza Grande + Chopps)
Endereço: Alameda Tietê, 255 – Jardins
Esquina com a rua Haddock Lobo, 1255

CARNAVAL EM SP – DIA 2

Domingo de Carnaval (11/02/18)

1ª parada: passeio pela Avenida Paulista + Almoço

Boooom dia São Paulo!!! Só para começar, esse maravilhoso nascer do sol, visto da janela do Hotel!
IMG_20180211_070448088
Resolvemos iniciar o dia dando uma volta pela Avenida Paulista, que fica fechada para carros aos domingos. Só que chegamos por voltadas 9:30 e ela ainda estava aberta, com pouca movimentação, mas ainda circulavam carros pela avenida. Após uns 30 minutos de caminhada a via foi fechada, e começou uma movimentação de famílias circulando pela avenida, muitas bicicletas e pessoas correndo, um passeio bem interessante pra se fazer (senti falta de uma bicicleta, pra dar um rolê pela avenida toda).

No entanto, quando já retornávamos ao Hotel tivemos uma “emergência”, pois a Nanda ficou febril. E o bom da Paulista é isso, muita farmácia por perto… Enfim, essa febre acabou com nosso passeio no Ibirapuera, mas a Nanda é forte pra doença, logo ficou boa (depois de uma dose de Novalgina… Rsrsrsrs) e partimos para o almoço.

P.s.: a Nanda é uma criança ótima em relação a doenças (bate 3x na madeira) e em nenhuma viagem tivemos problemas com isso. No entanto, normalmente levamos um “kit” com Termômetro, Novalgina, Band-aid, gaze, esparadrapo e merthiolate. Dessa vez, optamos por não levar nada pois estaríamos em uma “cidade grande” e acabamos tendo de gastar um pouco mais comprando o termômetro e a Novalgina (Faz parte né… 😦 ).
Escolhemos um local próximo ao hotel, para almoçarmos, até para podermos acompanhar o andamento da febre da Nandoca. Sendo assim, optamos pelo America (Alameda Santos, 957 – Jardim Paulista, São Paulo), pois ele possui uma área Kids (isso foi fator fundamental na decisão de onde nos alimentarmos por Sampa). É uma rede de hambúrgueres, mas que possui outras opções, inclusive pratos bem saudáveis.
Importante: vale a pena dar uma conferida no site deles, pois nem todas as unidades possuem área Kids.

2ª parada: Museu do Futebol

Depois do almoço, partimos para o Museu do Futebol. Esse foi um passeio mais para nós do que pra ela, mas nem por isso dizemos que ela não aproveitou. O museu é sensacional, mesmo para quem não curte futebol, imagina para quem é fanático como eu. Fiquei em êxtase, muita informação interessante, muito conteúdo e super bem exibido. E a Nanda… além de curtir a apresentação do Museu, ainda participou de algumas atividades: confeccionou uma máscara de carnaval (nesse caso foi a data que estávamos, mas em outro período deve possuir outras atividades lúdicas), jogou totó (pembolim), jogou futebol numa projeção no chão e participou do chute a gol que mede a velocidade do chute.

Ficamos 1h30 no Museu, mais pelo fato da Nanda estar voltando a ficar febril. Acho interessante programar, no mínimo, 2h lá dentro, pra poder ler as informações e aproveitar as atividades.

Uber Restaurante x Museu: R$ 14,73
Uber Museu x Hotel: R$ 11,71
Valor Ingresso: R$ 12,00 (a Nanda não pagou ingresso).
Horários: 
  • Terça a sexta: 9h às 17h (entrada no Museu até as 16h).
  • Sábados, domingos e feriados: 10h às 18h (entrada no Museu até as 17h).
  • Em dias de jogos no Pacaembu, importante consultar o site do Museu.

Carnaval em SP – Dia 1

Sábado de Carnaval (10/02/18)

Viajar de avião com crianças é sempre uma incógnita e com a Nanda não é diferente, nunca sabemos como ela irá se comportar. Como acordamos bem cedo, ficamos na expectativa de que ela dormiria durante o voo… mas é claro que isso não ocorreu!  E, para piorar, os aviões da LATAM, na Ponte Aérea, não possuem televisores, ou seja, precisamos “nos virar nos 30” para entretê-la durante os 40 minutos.
IMG_20180210_101749617
 
Chegamos em Congonhas – SP por volta de 10h30,  e logo pegamos um UBER para o Hotel. Nos chamou atenção o fato do aeroporto possuir indicações do local aonde se deveria aguardar pelo UBER, algo que não vejo no Galeão (depois soube que o Santos Dumont tem também).
Levamos menos de 30 minutos para chegarmos ao Blue Tree Premium Paulista e já fizemos todo o procedimento de check-in, apesar do quarto só estar liberado às 14h. Deixamos as malas no maleiro do Hotel (sempre é bom confirmar se possuem essa opção, antes de chegar com antecedência no Hotel) e partimos para o nosso passeio.
 
Obs.: como agora as Cias Aéreas resolveram “nos agraciar” com a cobrança para despachar bagagem, fomos com 2 malas pequenas, para utilizarmos como bagagem de mão. Tanto na ida, quanto na volta, tivemos a opção de despachar a bagagem SEM CUSTO. Pra quem não gosta de ficar carregando mala no avião, como nós, é uma excelente opção (apesar do risco disso não ocorrer).
 
  • Uber Aeroporto x Hotel: R$ 22,83

1ª parada: Mercado Municipal de SP

Já chegamos ao Mercado Municipal próximo ao horário do almoço e, como estávamos morrendo de fome (a LATAM não nos ofereceu lanchinhos…) já partimos para o mezanino, onde se encontravam os restaurantes. Não contei, mas acredito que existam uns 6 restaurantes por lá. Optamos pelo Nico Pasta & Basta, por já ter lido boas críticas dele e não nos arrependemos. Os pastéis de camarão e de bacalhau estavam excelentes e o menu kids também estava muito bom, com frango grelhado, arroz, feijão e purê de batata. Uns 30 minutos depois que chegamos, começaram a se formar filas para entrar em todos os restaurantes.
De barriga cheia, fomos dar uma volta pelo Mercado, até que resolvemos parar em uma barraquinha de frutas, e… caímos na “armadilha”. Depois de experimentarmos várias frutas, deixamos 43 reais com um pouco de Tâmara e de Morangos. Mas valeu a pena, diversas opções de frutas e muito saborosas.
 
  • Uber Hotel x Mercado: R$ 15,52
  • Valor Almoço: R$ 141,81 (2 Pastéis + Menu Kids + 4 Chopps + 1 Água)

2ª parada: Museu Catavento

Do Mercado Municipal, partimos à pé até o Museu Catavento (aproximadamente 10 minutos de caminhada). Importante: ao sair do Mercado, olhando para o SESC, vá para o lado esquerdo (conforme mapa abaixo), pois o lado direito, apesar de parecer mais próximo, é mais deserto e perigoso.
MapaCatavento
Mal chegamos ao Museu e já nos encantamos com as exposições externas: um avião de guerra, uma locomotiva, entre outros. Nanda se amarrou, não queria saber de entrar (isso porque o sol estava de rachar neste dia.
Quando resolvemos entrar no Museu, por volta de 13h, demos de cara com uma fila enorme na bilheteria e nos assustamos, mas logo descobrimos que a fila era para retirada de senhas para as atividades extras (mais informações sobre quais são as atividades e os horários de retirada de senhas no site do Museu Catavento). Como não era a nossa vibe, entramos direto e o melhor, de graça! Aos sábados não é cobrada entrada, nos demais dias o ingresso custa R$10,00 a inteira.
Sobre o Museu só temos elogios!!! Já tinha ouvido falar muito bem, mas tive receio de ir com a Nanda por ela ainda ser nova e, em partes, isso acabou sendo uma verdade. A Nanda adorou o Museu, interagiu em muitos locais, adorou ver os bichos, brincar de bola de sabão e ver o seu cabelo ficar em pé ao encostar a mão na “bola” (tudo bem que depois do choque que ela tomou ao sair antes da hora ela não quis mais saber de cabelo em pé). Mas… o Museu é, com certeza, algo extraordinário para as crianças mais velhas, que já estão aprendendo geografia, já estão tendo aulas de física, química, entre outros, pois tudo que é ensinado na teoria é demonstrado na prática, no Museu.
 
Ficamos, aproximadamente, 2h no Museu, mas acredito que quem tem criança mais velha, fique um pouco mais.
 
  • Uber Museu x Hotel: R$ 14,96
  • Valor Entrada Museu: aos Sábados (de graça) – Demais Dias (R$ 10,00 – Inteira).
  • Funcionamento: De terça-feira a domingo, das 9h às 17h.

3ª parada: Hotel + Jantar

Ficamos um tempo no Hotel, descansando para só sairmos à noite para Jantar.
Sobre o Blue Tree Premium Paulista temos as seguinte observações:
1 – Localização excelente, bem próximo a Paulista e ao MASP;
2 – Funcionários super gentis e atenciosos;
3 – Quarto pequeno, mas confortável e limpo;
4 – Café da manhã razoável, mas nada que comprometa.
 
Para o jantar, optamos pela Churrascaria Vento Haragano, pois, além do Alex estar cheio de fome, eles tinham a opção de recreação infantil. Confesso que só isso valeu a pena, pois o custo-benefício pra gente não foi tão bom. A churrascaria é muito boa, mas nada excepcional para pagarmos o valor cobrado pelo rodízio. Depois, acabei descobrindo que eles tinham cupons no Peixe Urbano e Grupon… Demos mole!!! 😦 😦
Agora, a recreação fica em uma área grande e com uma pessoa responsável (tia Aline) que foi super, mega, ultra atenciosa com a Nanda.
Uber Hotel x Churrascaria: R$ 14,47
Uber Churrascaria x Hotel: R$ 11,07
Valor Rodízio: R$ 136,00
 

E assim fechamos o 1º dia em Sampa…. positivamente surpresos e cansadíssimos!

Um grande abraço,

FAMÍLIA NANDA AVENTUREIRA!

 

Trilha do Morro da Urca – RJ

E, no embalo da nossa última aventura em MG, resolvemos apostar em novidades com a Nanda e arriscar uma trilha que já havíamos feito 2 vezes, antes dela nascer, há uns 4 anos. Sabíamos que a trilha do Morro da Urca era tranquila, mas com uma subida considerável (são 900m até o morro), e fomos acreditando que a Nanda encararia de boa, mas que pediria colo boa parte do trajeto.IMG_20170129_082726776

Para evitarmos um empecilho a mais, chegamos por volta de 8h da manhã na Urca, tentando evitar o sol que dificultaria a nossa subida. A trilha inicia-se pela pista Claudio Coutinho, próximo a Praia Vermelha, na Urca. Logo de cara percebemos excelentes mudanças em relação a última vez que estivemos por aqui, a trilha estava muito melhor sinalizada e com escadas, facilitando a nossa subida, apesar de serem degraus altos.

Pois é, e para nossa surpresa, a Nanda subiu toda essa parte da trilha que tem escadas (praticamente metade dela), sem reclamar ou pedir colo, curtindo a paisagem e procurando micos pelo caminho. A questão sol também não foi problema, apesar de termos ido cedo, a trilha tem muita mata fechada, o sol não chega a incomodar.

IMG_20170129_090315227

 

A segunda metade da subida foi um pouco mais cansativa para o Alex, que teve que carregar a Nandoca no coloca algumas vezes, mas nada que complicasse o passeio, até porque ela ainda percorreu uma boa parte no chão.

Ao chegar no Morro da Urca, depois de, aproximadamente, 40 minutos, pudemos desfrutar da maravilhosa vista do Rio de Janeiro que o local nos proporciona. A Nanda curtiu bastante, se divertiu pelos vários espaços e ainda recebeu um copão de pão de queijo de recompensa(rsrsrsrsrs). 🙂

Falando em comida, não se esqueçam de levar muita água (fundamental para a subida) e alguma comidinha para a trilha, afinal, foram mais de meia hora de subida. Também foi super importante realizarmos algumas paradas pelo caminho, quando percebíamos que a Nanda estava cansada, ficávamos procurando miquinhos pelo local. Aliás, se encontrar um mico, não os alimente, apenas tire fotos!!! E, mais importante ainda, não jogue seu lixo pelo caminho, se não tiver lixeiras, guarde-os para quando uma lixeira aparecer.

Para descer, você pode retornar pela trilha ou pagar o bondinho de volta que custa R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia). A Nanda, com 3 anos, não pagou a descida. (http://www.bondinho.com.br/nova-regra-para-acesso-ao-morro-da-urca-atraves-das-trilhas/). E essa foi a nossa 2ª surpresa, pois achamos que a Nandoca ficaria com medo do bondinho, afinal, ele é todo de vidro, balança e a mamãe tem medo (:#)… mas ela é a Nanda Aventureira né?! Medo nenhum, curtiu pra caramba a descida, ficou passeando pelo bondinho enquanto a mamãe ficava agarrada no canto (rsrsrrsrs).

Dicas importantes:

  • Se for de carro, vá bem cedo… o local não possui muitas opções de estacionamento. Chegamos por volta de 8h e já não encontramos lugar para estacionar e acabamos parando bem longe da subida.

Opções de Transporte Público:

Existem linhas de ônibus que deixam próximo a Praia Vermelha, entre elas, linha 107 (saindo do centro) e 581 (saindo de Copacabana). Também há opção de metrô com integração, na Estação Botafogo – linha 513.

Ver mais em http://www.bondinho.com.br/como-chegar-2/

  • Não faça a trilha em dias de chuva ou se choveu bastante nos dias anteriores.
  • E, é claro, aproveite e curta muito a natureza sem sujar, sem destruir, preservando essa maravilha que o RJ nos proporciona.

Um grande abraço,

Família Nanda Aventureira!

Uma excelente surpresa no meio do mato (Rio Preto – MG)

Quando a minha cunhada nos convidou para um final de semana em uma pousada em MG, confesso que fiquei meio desconfiada, pois não sou tão fã de mato assim. E a desconfiança só aumentou depois que ela comentou que acharam a pousada “por acaso” em uma viagem meio “sem destino” com o namorado.

intrigar-620x450

Poxa, logo eu, tão programada, procuro N referências antes de fechar alguma viagem, vou aceitar essa aventura com uma criança de 2 anos e 10 meses?! Mas minha cunhada não deixou nem eu ter esse tempo de pesquisa e no mesmo dia, com um simples “sim, podemos” ela já ligou para a dona da pousada e fechou o final de semana para todos nós.

assustado-295x300

Então, vaaaamobora né?! Partimos então, no sábado, por volta das 5h, em direção à Serra do Funil, em Rio Preto – MG (esse horário foi ótimo, pois carregamos a Fernanda meio dormindo para o carro e ela foi dormindo uma boa parte do percurso). Só digo uma coisa, é chãããão hein! Foram, aproximadamente 4h de viagem, e se você não conhece o caminho, baixe o mapa antes, pois a conexão em alguns locais fica bem debilitada.

Logo que chegamos na Pousada Mirante Santo Antônio, a minha desconfiança já foi deixada de lado. Lugar muito bem apresentado, chalés bem bonitinhos, funcionários bem atenciosos já vieram nos receber para um café da manhã simples, mas muito gostoso. Aliás, a diária da Pousada incluía café da manhã e um lanche da tarde (tivemos pastéis de lanche), e o preço do almoço era bem em conta (pelo que me recordo, pagamos R$25,00 por adulto e comemos a vontade).

Bom, mas o grande atrativo e a nossa grata surpresa (apesar da cunhada ter avisado) foi a presença de muitos animais soltos pela pousada. Óbvio que Fernanda amooooou, mas também ficou com algum medinho, como no momento em que o Tucando pousou no meu braço e ela estava ao meu colo.

Logo após o café da manhã fomos conhecer algumas cachoeiras da Serra do Funil, e começamos por umas mais simples, que ficam dentro da Pousada Toca do Coelho, aliás, outro local bem agradável, com pessoas atenciosas, inclusive com uma cerveja artesanal própria. Bom, mas voltando as cachoeiras, se você não está hospedado na pousada, tem de pagar uma taxa de R$5,00 para conhecer as cachoeiras. Foi o que fizemos e seguimos em direção a Espinheira Santa, Quatro Quedas, Mundinho e Toca do Coelho. O caminho até elas é bem tranquilo (até minha sogra com mais de 60 anos foi conosco), apesar de sempre termos de ter cuidados ao fazer esse tipo de passeio. Apesar da água gelada, não dá pra você chegar em uma cachoeira e não dar um mergulho para lavar a alma né?! Foi o que fizemos, eu, meu marido, o namorado da minha cunhada e…. Nanda!!! Sim, para ela não tem essa história de água gelada não! Rsrsrsrsrs

Após, aproximadamente 1h entre ida e volta às cachoeiras, retornamos a pousada para um bom banho e curtição das demais áreas, como Sauna, sala de jogos (sinuca, pembolim…) e um parquinho infantil muito legal que a Nanda curtiu demais.

No dia seguinte resolvemos embarcar em uma trilha com os demais hóspedes do Hotel. Nossa dúvida era: levamos ou não a Fernanda?! Poxa, pelo que entendemos, nem o Guia conhecia bem a trilha e não sabíamos o grau de dificuldade dela para tomar esse tipo de decisão, mas quando viajamos assim a gente gosta que ela participe conosco de tudo e então decidimos por leva-la e, se a situação começasse a ficar ruim para ela, voltaríamos.

Preparem-se, aqui começa a nossa saga e é nesse momento que surge a Nanda Aventureira (e os pais irresponsáveis dela… 😊)

Quando decidimos ir o restante do pessoal já estava se organizando para partir e o guia apenas nos explicou “por alto” como chegar ao local. Óbvio que não captamos toda a mensagem e nos perdemos, nos informamos com pessoas do vilarejo no caminho até acharmos aquele que poderia ser o início da trilha: uma porteira fechada. Deixamos o carro “no meio do mato”, pulamos a porteira e partimos em direção ao local que acreditávamos ser o correto. Uma longa subida pela estrada, gritávamos o nome de algumas pessoas do grupo que partiu antes e não obtínhamos resposta alguma. Continuávamos a subir, ainda que em uma trilha tranquila, mas muita subida (bem cansativa mesmo) sem nenhum contato com outro grupo ou certeza de que estávamos no caminho correto. Nanda revezava entre algumas andadas, o colo do pai, no tio Jairo (namorado da minha cunhada) e o meu colo (bem pouco, pois não aguentava nem subir sozinha, que dirá com ela no colo).

Até que a situação foi piorando, chegamos tão alto que uma neblina tomou conta do local e não enxergávamos absolutamente NADA!!!! Mas, neste momento, mais perdidos que não sei o que, ouvimos vozes e ao gritar recebemos resposta que queríamos… Siiiiiim! Era o outro grupo, estávamos na direção certa, inclusive estávamos na frente deles pois haviam desviado para uma cachoeira menor, mais abaixo.

Que sensação de alívio excelente, uma aparente tranquilidade tomou conta da gente, Nanda se divertia horrores, corria para lá e para cá, super animada. Foi quando, junto com outro grupo, entramos na “trilha de verdade”, pois até então, só havíamos subido o morro, sem muitas dificuldades na trilha, apenas o cansaço da subida mesmo. Mas, ao entrarmos nesta parte da trilha, passamos por lugares bem estreitos e até perigosos (principalmente com uma criança no colo) o que nos deixou um pouco apreensivos por termos levado a Nanda. E foi nessa parte que, todos muito impressionados com a filhota e em como ela estava curtindo aquela vibe, surgiu o apelido de Nanda Aventureira.

Após algumas subidas e descidas chegamos na cachoeira da Amorosa e toda aquela apreensão foi recompensada. Que lugar! Que visual maravilhosoooo! Ficamos um bom tempo contemplando aquela belezura e claro, tomando um banho para lavar a alma (dessa vez a Nanda não foi, só recebeu uns pingos).

 

O caminho de volta foi mais tranquilo, pois, além de sabermos por onde tínhamos de ir, uma boa parte do caminho foi descida.

Apesar de ter corrido tudo bem e a Nanda ter curtido, não aconselho que sigam o nosso caminho. Sempre que for fazer alguma trilha, principalmente se houver uma criança junto, não faça sem um Guia, sem alguém que conheça a região.

Espero que tenham curtido e que tomem mais cuidado que nós tomamos, ao fazer trilhas com os pequenos. Porém não deixe de incluí-los nesses passeios e no contato maravilhoso com a natureza que eles proporcionam.

Família Nanda Aventureira!

 

Pousada Mirante Santo Antônio

Estrada Rio Preto, km 16, s/n – Funil, Rio Preto – MG, 36130-000

Site: https://www.mirantesantoantonio.com/

Valor: Pagamos R$250,00 na diária com café da manhã e lanche da tarde. O almoço custa R$25,00 e você come a vontade, com sobremesa.

Dica: para quem tem crianças e pessoas de mais idade, solicitem para ficar nos chalés mais abaixo, pois os chalés lá de cima são bem cansativos para subir.

Um dia na Fazendinha

Desde muito pequena a Fernanda é apaixonada por animais e, após termos ido ao Hotel Fazenda Vilarejo, ela passou a pedir insistentemente para voltar a Fazendinha. Mas… sabe como é né gente, grana curta, pouco tempo, não dá pra ficar indo em um Hotel Fazenda a todo momento. 😊

Foi então que descobri, através de um colega do trabalho, a Fazendinha Estação Natureza, em Vargem Grande – Rio de Janeiro – RJ. Uma opção muito mais em conta para pessoas que, como nós, não podem ficar se hospedando em hotéis fazenda todo final de semana.

Fomos a 1ª vez em Outubro de 2016, através de uma compra de ingressos no Groupon (pagamos R$ 49,00 por 3 ingressos… eles vivem fazendo promoções por lá, vale a pena ficar de olho). Nossa, a Fernanda ficou encantada, logo deu de cara com coelhos e pode alimenta-lo. Além dos coelhos, o local possui Tucanos, Patos, Galinha, Cágados, Vaca, Boi, Cavalo, Porco, Avestruz, Peru, entre outros animais.

Mas o mais interessante é que conta com uma equipe de animação que faz algumas atividades com as crianças, inclusive com interação com os bichinhos. A Nanda viu uma “corrida de cágados” e colocou a mão em uma cobra (acreditem!!!).

Também é possível fazer atividades mais radicais, como descer em uma tirolesa e andar a cavalo. E não é que minha Aventureira decidiu descer na tirolesa, arrancando suspiros do pessoal que estava por lá…. “A pequenininha vai descer”, “olha, olha”. Ela foi bem tranquila e desceu sem maiores problemas, mas chegou com uma carinha um pouco assustada e não quis ir mais. (Lembrando que ela tinha 2 anos e 10 meses na época). Ela também andou a cavalo, mas com o pai a segurando o tempo inteiro…

Depois disso tudo, o que ela mais gostou, de verdade, foi do brinquedo que tem na Fazendinha, com uma ponte e um grande escorrega. Foi difícil tirá-la de lá.

IMG-20161009-WA0009

Neste dia, optamos por almoçarmos na Fazendinha. Existem 2 restaurantes com esquema de buffet liberado, com bastante opções no cardápio. Fomos no “Sabor Fazenda” e pagamos, na época, R$ 49,90 por adulto e R$ 19,00 por criança, para comer a vontade, incluindo sobremesas. Só que, depois disso tudo, só nos restou voltar para casa! ☹

Voltamos à Fazendinha em Abril de 2017, através do Peixe Urbano (pagamos R$ 79,80 por 6 ingressos), só que dessa vez levando o afilhado junto, de 1 ano e 7 meses junto. Desta vez, optamos por levar um “lanchinho” para fazermos um pic-nic. Valeu muito a pena, além de divertido, não gastamos uma grana no restaurante. O local possui umas lanchonetes também, e barracas vendendo algodão doce, tapiocas…

Desta vez a Fernanda foi na tirolesa e repetiu a dose. Se amarrou, desceu muito mais confiante a nossa Nanda Aventureira. E o passeio a cavalo também foi muito mais divertido, ela não quis saber do pai segurando ela e foi no embalo da cavalgada.

O dia estava bem quente e lá é um local muito aberto, portanto, não esqueçam do Protetor Solar. Também é interessante levar repelente, pois lá é no meio do mato e os mosquitos podem atacar (não tivemos problemas com isso, mas…).

Além de tudo que foi citado acima, a Estação Fazendinha possui um chafariz que permite as crianças ficarem brincando e se molhando. Ou seja, levem roupa de banho e toalha, acabamos esquecendo das 2 vezes em que fomos, mas o local tem tanta coisa que a Nanda nem fez questão de ficar por lá. Também tem um campo de futebol, para quem gosta, é bom pensar em levar uma bola.

O local aluga espaço para aniversários, sendo que, pelo que vi nos 2 dias, os participantes da festa tem direito a atividades extras junto aos monitores.

Resumindo, uma excelente opção para colocar a criançada em contato com a natureza, sem precisar gastar muito, valeu demais a pena e estamos cogitando fazer um aniversário da Nandoca por lá.

Espero que vocês tenham curtido as dicas e vambora tirar a criançada da frente dos tablets, computadores e celulares!

Família Nanda Aventureira!

 

Fazendinha Estação Natureza

Sábados, Domingos e Feriados, das 10h às 17h.

Est. dos Bandeirantes, 26.645, Vargem Grande, RJ

Site: https://fazendinhario.com.br/

Instagram: @fazendinhario

Facebook: https://www.facebook.com/fazendinhario

Valor: Existem algumas opções de ingresso, sendo as mais baratas, R$65,00 (3 pessoas) e R$120,00 (6 pessoas)

Dica: fiquem de olho no Grupon e Peixe Urbano que sempre rola promoção.